Técnica Escutista » Em campo » Pioneirismo » Escadas » Escada de corda "quebra-costas"   Entrar
  
  

 Escada de corda "quebra-costas"
 

Vamos construir uma escada de corda, a que os marinheiros chamam vulgarmente "escada quebra-costas", dado ser constituída por dois cabos, montados na vertical, com degraus em madeira, fixados ou não por nós.

Deve ser um trabalho colectivo, isto é, feito em patrulha ou equipa.

O primeiro cuidado deve ser na selecção dos troncos para fazer os degraus (nem madeira verde nem podre).

Cada elemento pode fazer mais do que um degrau. Todos são serrados com o mesmo tamanho. Com a ajuda da faca de mato, abre-se perto das extremidades um entalhe em forma de V, onde vai ficar fixo o nó de Galera, a fim de evitar que o mesmo escorregue ou fuja do degrau.

Convém medir bem as distâncias ao colocar os degraus, de forma a que os mesmos fiquem em posição horizontal, quando a escada estiver pendurada.

O segundo cuidado é na escolha das cordas com que se vai trabalhar, dado que devem oferecer absoluta confiança à carga que vão suportar.

Lembra-te daquela frase de BP: "...da perfeição com que o nó está feito pode depender uma vida..."

Exemplo: construir uma escada de quadro metros com os degraus de 25 em 25 cm.

Como pendurar a escada sem ter de trepar à árvore?

Um sistema bastante simples consiste em fazer passar por cima do tronco escolhido para pendurar a escada, um fio de sisal com uma pedra na ponta. Este fio serve para içar duas espias fortes, em que as duas pontas são presas ao sisal e as outras duas fixas ao primeiro degrau, de forma a que fiquem soltas as duas extremidades das cordas da escada. Um ou dois elementos fazem içar a escada, traçando as espias em volta de uma árvore (fazendo segurança). Um dos elementos sobe a escada e prende em volta do tronco as duas extremidades das cordas da escada. Para desmontar é seguir o sistema no inverso.

A subida e a descida deve ser feita passando a escada entre as pernas, nunca colocando mais de um pé em cada degrau, o mesmo acontecendo com as mãos, até atingir o último degrau.

Atenção: quando se trabalha com jovens sem grande experiência, se necessário, montar um sistema simples de segurança com o nó de salvação.

in Flor de Lis